Estamos publicando uma tradução da carta de Robert Svoboda, que nos ajudará a encontrar nossos pontos de referência profundos e a manter a calma neste momento de pânico e crise para o mundo.

liberdade
Robert Freedom

O escritor americano, Dr. Ayurveda, a primeira pessoa no mundo ocidental a ser licenciado para praticar Ayurveda na Índia (1980.), palestras sobre Ayurveda e religiões orientais ao redor do mundo, orador da conferência PRO AlterMed 2020.

Como o COVID-19 (agora oficialmente conhecido como SARS-CoV-2) continua a se espalhar pelo mundo, governos e especialistas em saúde estão tentando determinar quão disseminado será e como limitá-lo da forma menos intrusiva e eficaz. Atenção cuidadosa e evitar aglomerações, combinadas com lavagem repetida das mãos e limitação do contato com a boca, olhos e nariz - são as melhores medidas preventivas no momento, junto com compras estratégicas do essencial que você precisará nas próximas semanas. No entanto, neste “clima de incerteza”, muitas pessoas entram em pânico, inventam e usam métodos que acabam por não os beneficiar nem a seus entes queridos, em particular comprando tudo o que podem.

Não tendo um desenvolvimento evolucionário tão longo, a mente humana ainda não atingiu a maturidade total e, portanto, diante de uma crise, muitas mentes perdem a capacidade de pensar com clareza. Por "mente" quero dizer a função mental conhecida em sânscrito como manas (mente, razão). Essa função transforma as percepções que recebemos de nossos sentimentos em uma história significativa. E essa história significativa é nossa buddhi (capacidade de reconhecimento interno), pode ser usado para relatar manasu (mente) como exatamente responder a esta história. O medo leva a um curto-circuito nesse processo, forçando as pessoas a reagir rápida e imprudentemente do que a agir de propósito.

E é por isso que vemos compras agressivas de pânico, muitas das quais parecem incomumente irracionais, como a longa corrida global por papel higiênico.

Muito disso é causado por "instinto de rebanho" ou "contágio emocional". Todos nós tendemos a "refletir" um ao outro, pelo menos em parte, graças aos "neurônios-espelho" que existem em várias partes do cérebro. E sendo seres sociais, todos, consciente ou inconscientemente, nos adaptamos ao nosso ambiente imediato. Somos tão parecidos com nossos amigos na maneira como percebemos e reagimos ao mundo que nos rodeia que essas semelhanças podem ser usadas para prever não apenas quem são nossos amigos, mas também quão socialmente somos íntimos deles.

Essa capacidade de adaptação nos permite ajustar facilmente os estados emocionais de outras pessoas, o que significa que podemos "captar" emoções mesmo em interações casuais, se o nível geral de ansiedade e preocupação entre a população for alto. O medo e a ansiedade são especialmente "contagiosos" e podem causar choque: quando algumas pessoas na multidão sentem que estão pessoalmente ameaçadas, seu repentino medo e correria podem convencer os outros a fugir. E logo toda a multidão é forçada a fugir, muitas vezes sem direção ou propósito.

É prejudicial para a multidão ("multidão" é uma palavra que costumava significar "imprensa" ou "provocação"), mas graças a comunicados 19 horas por dia e postagens nas redes sociais que aumentam a taxa de "contágio emocional" entre a população, o COVID-XNUMX impulsionou amplamente segmentos da população em todo o mundo antes da transição para o pânico. Esta é a verdade sobre a humanidade: que cada um de nós tem necessidade de se sentir competente, de controlar nossas vidas e de agir da maneira que as pessoas próximas a nós agem na sociedade. Agora que a maioria das pessoas se identifica como consumidor, elas consomem em um estado de estresse e as compras de pânico podem ser entendidas da seguinte forma: você vê outras pessoas comprando algo e você também compra; você vê fotos de prateleiras vazias e não quer ficar de fora (querendo sentir e parecer um consumidor competente, alguém que controla sua vida).

No momento em que a ameaça mortal se aproxima de cada um de nós, quando há incerteza sobre como superar esse perigo, o medo torna essa ameaça tão sinistra que começa o pânico global, que se concentra na compra de mercadorias (como papel higiênico) em embalagens grandes, do tamanho de que como se oferecesse ao nosso subconsciente uma "grande" resposta ao perigo.

Mesmo que você resista ao pânico, ainda pode sentir a ameaça com a qual precisa lidar. E você terá que lidar com isso de alguma maneira que seja eficaz para você, o que corresponderá ao nível de perigo, mas reduzirá o medo e não contribuirá para a "infecção" desse medo. E a primeira coisa a fazer é dar um nome ao que você sente, porque isso o levará temporariamente para fora desse estado, qualquer que seja.

Depois de avaliar objetivamente sua condição e posição, lembre-se de que uma pessoa com predisposição cognitiva tende a superestimar eventos recentes e marcantes. Portanto, você deve criar uma perspectiva mais equilibrada a partir da qual olhar para a situação.

Uma ótima maneira de criar essa perspectiva é agradecer pelo que você já tem. Além disso, podemos agradecer à própria natureza por ter decidido trazer nossa aparência imperfeita de volta à vigilância e ao despertar através de uma doença cuja mortalidade parece estar em cerca de 4%, não quase 10%, a partir da primeira SARS. , e não 35%, a partir do MERS (ambos também são coronavírus, e ambos, como o COVID-19, se originaram primeiro em animais e depois foram transmitidos aos seres humanos). Obrigado providência!

Porque manas (nossa mente, razão, capacidade de pensar) sempre quer tentar encontrar uma saída da situação, deixe-o olhar, mas não de uma maneira incontrolável - "Oh Deus, o que acontecerá depois ???", mas com uma mente fria:

  • encontre fontes de informação verificadas e verdadeiras;
  • tente ser o mais claro possível, inventando suas previsões e dando diagnósticos;
  • quando você não tiver mais nada em que pensar, mas não puder parar de fazê-lo, lembre-se de que manas vem da raiz sânscrita "pense". Sufixo em sânscrito tra significa "ferramenta" e "defensor" que faz mans + tra = mantra "Ferramenta do pensamento" ou "defensor do pensamento".

Assim:

  • concentre-se em seus mantras ou um mantra, em um dos muitos nomes do Ser Supremo;
  • confiar em fatores internos e não externos para recuperar o controle de um mundo cada vez mais fora de controle;
  • quando você faz isso com outras pessoas que se esforçam para fazer o certo, você tem satsang (sáb. - a verdade, sanga - comunicação, reuniões, satsanga - como uma comunicação em grupo sobre o superior e o espiritual), o que significa que a expressão sânscrita é válida: “existe algo que satsang não pode fazer isso pelas pessoas? ”

Quanto tempo o COVID-19 vai nos incomodar, causar sofrimento e quão doloroso será, ainda não sabemos. A única coisa que precisamos lembrar é que não devemos agravar uma situação ruim, correndo sem rumo como galinhas sem cabeça.

Om Namah Shivaya!

Dr. Robert Svoboda

Texto: Robert Svoboda (EUA)
Tradução: Andriy Glushko
Colagens: Victoria Mayorova

Materiais similares

Materiais populares

Você se meteu versão beta website rytmy.media. Isso significa que o site está em desenvolvimento e teste. Isso nos ajudará a identificar o número máximo de erros e inconvenientes no site e a torná-lo conveniente, eficaz e bonito para você no futuro. Se algo não funcionar para você ou você quiser melhorar algo na funcionalidade do site - entre em contato conosco da maneira que for mais conveniente para você.
BETA